As garotas sujas

eu parei uns minutinhos minha vida de sempre, fui ver um vídeo e caí no anos 1990. melhor: eu voltei a entender como essa década existiu e como foi estar lá. de resto só posso dizer que gostaria de ser amigo, namorado, pega, de ter sido uma das dirty girls.

e não, o vídeo não se trata de meninas safadas derretendo de tesão por você, mas de um grupo feminista adolescente norte-americano. vê aí:

Pra ver com legendas em português, mas com qualidade de resolução inferior, por aqui.

é um trabalho de 1996 de Michael Lucid, bastante amador, com uma captação de imagens ruim, mas que expõe um momento maravilhoso daquela década. depois de ver o filme eu fui ouvir o Nevermind inteiro, ler as letras. tudo fazia sentido. o grunge e as camisas xadrez no armário ainda faziam sentido.

mas a real é que provavelmente não teria o culhão dessas gurias e estaria lá, do outro lado, falando sobre elas. minha máxima autocondescendência permite dizer que eu elogiaria alguma coisa ou outra, mas nunca passaria pro lado de lá, o lado das dirty girls. onde eu gostaria de ter estado quando penso nisso hoje.

de que lado será que eu estou hoje? me alivio dessa, e deixo o minidoc como um PS pra Lena. elas fazem o que fazem não é pra ser cool, é porque elas podem.

2 comentários

Filed under Cinema

2 responses to “As garotas sujas

  1. Olá! É engraçado saber que mais alguém pensa exatamente como eu sobre esse documentário. Me apaixonei instantaneamente quando o vi,tanto que corri para traduzir ( o vídeo de legenda em péssima resolução é meu rs). Mas esse vídeo é uma raridade e fala tanto sobre as pessoas e a época delas em tantos aspectos…demais!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s