Leiturosseia do Ulysses – Capítulo Onze – As Sereias

Media_httpi85photobuc_mceyc

[Imagem de David Byers Brown para o Canto XII da Odisseia, com Ulisses amarradão no canto das sereias]

nesse capítulo, Bloom vai parar no bar do Hotel Ormond (o preferido dos músicos de Dublin) para comer e ouve a cantoria do lugar. entre os cantores, Simon Dedalus. as canções reverberam em Bloom que repensa seu caso por carta com Martha e em como vai fechar o anúncio do Shawes.

o capítulo é todo dedicado a música, com diversos trechos de canção e recursos textuais que apelam a musicalidade. isso que o estilo narrativo tem a ver com o paralelo homérico.

esse é o capítulo das sereias, no qual Ulisses pede para ser amarrado ao mastro pra poder ouvir o cântico das sereias, que atraem homens ao mar e a morte. desse paralelo Joyce resolveu fazer um capítulo musicalizado. Há um belo artigo sobre a música na obra de Joyce.

 

Media_http3bpblogspot_hbbip

[James Joyce, essa sereiazinha da literatura moderna]

 

interessante notar que mesmo sendo muito emblemático e bastante conhecido, esse trecho das sereias na Odisseia ocupa alguns poucos versos. as sereias de Dublin são as duas garçonetes e há toda um aproveitamento da ideia de tema e voz literário em relação ao tema e a voz musical.

quanto ao modelo narrativo, é um pequena delícia. fuga per canonem é uma tirada com a técncia musical da fuga e do cânon. até onde pude apurar, não existe na música uma ‘fuga per canonem’.

a fuga, é melhor pedir pra alguém que manje de música te explicar, mas é algo meio como uma voz em um tom que canta um tema e vai se desenvolvendo e em seguida entra uma segunda voz, em outro tom, cantando o mesmo tema e assim segue, como se o tema “fugisse”. parece que o Bach era o cara da fuga.

Já o Cânone são diversas vozes cantando a mesma linha melódica que a primeira voz e retomando o que ela já fez. não sei bem se entendi a diferença, mas me parece que são técnicas excludentes entre si.

no caso do romance de Joyce, entenda voz, não por canto, mas por voz narrativa. e no começo do capítulo ele faz uma pequena apresentação dos temas que serão desenvolvidos no capítulo, coisas que alguns compositores de música erudita também fazem (parece que é o caso do Wagner). ou seja, todo aquele texto desconexo é uma trailer do que vem pela frente, mas ligado ao sentido e desligado da sintaxe.

1 Comentário

Filed under Uncategorized

One response to “Leiturosseia do Ulysses – Capítulo Onze – As Sereias

  1. Pingback: [A consciência de Zeni] A deriva em Fachadas | balbúrdia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s